A metodologia do Design Thinking ficou conhecida no mundo todo. Há alguns anos o termo não era tão conhecido e, hoje, a expressão é tema recorrente em reuniões, palestras, workshops e etc.

Junto com a mentalidade do Design Thinking vem também o pensamento de colocar o cliente no centro e proporcionar a ele uma experiência diferenciada. Mas você sabia que o conceito pode ser aplicado à forma como você vê o mundo? Aprenda realmente o que é o Design Thinking e entenda como você pode colocar essa forma de pensar em todas as suas ações.

Dessa forma, compreenda que  não basta uma grande empresa selecionar um bom gerente de P&D (pesquisa e desenvolvimento) para criar e produtos e serviços que os clientes amem. Isso é até válido mas vai muito além.

Atualmente, estamos no que chamamos “Era da Experiência”. Cada vez mais é preciso que as empresas e startups criem condições para que o consumidor enxergue o benefício que um determinado serviço está agregando ao todo. Esse tipo de conceito pode ser resumido em uma expressão, ela é a “Lógica do Serviço Dominante”.

O que é a Lógica do Serviço Dominante?

Resumindo, podemos dizer que o conceito está relacionado ao fato que o cliente não quer somente o produto. Mas, sim o benefício que o produto oferece. Pense, por exemplo, no cinema. Atualmente, cada vez mais são oferecidos recursos com o intuito de entregar uma nova experiência ou algo diferenciado ao consumidor. Isso acontece com o 3D, com cinemas que oferecem poltronas e uma experiência mais “gourmet” ou “premiere”.

Muitas vezes o cliente está interessado na experiência de assistir determinado filme e não em apenas assistir a esse conteúdo. Ele quer um som de qualidade, entre tantos outros recursos, que para aquela determinada pessoa entregam mais valor.

Assim, o Design Thinking centrado no ser humano é um processo que dá a oportunidade de você elaborar produtos e serviços cada vez mais relevantes para o seu público.

Quero receber conteúdos exclusivos

O que é o Design Thinking?

O design é o equilíbrio entre as sensibilidades e os métodos. No artigo “Developing Design Sensibilities“, Jane Fulton Suri e R. Michael Hendrix, da IDEO, defendem que “design thinking” não é apenas um método, mas uma habilidade capaz de buscar o equilíbrio entre uma postura e o uso das ferramentas.

Em uma perspectiva de empatia com todos os envolvidos no processo, o Design Thinking é uma abordagem que tem como objetivo buscar de maneira coletiva e colaborativae encontrar uma solução para os problemas.

A intenção é trazer o olhar e a empatia pelas pessoas envolvidas. Assim, sevocê quer melhorar um produto, tente pensar como seu cliente. Escute ele, entenda seu ponto de vista, olhe para ele, converse com ele.

Dessa forma, todo o processo consiste em entender e mapear a experiência de vida da pessoa, visão de mundo e os processos que estão envolvidos na realidade dessas pessoas. Portanto, o objetivo é ter uma visão mais completa e realista do ponto de vista do seu público sobre o que você quer solucionar.

Trata-se de uma abordagem que valoriza mais o “humano” trazendo a perspectiva de quem realmente interessa. É dar voz ao seu cliente e é procurar entender suas reais necessidades. Na verdade, o Design Thinking pode ser utilizado por diversas áreas e com diferentes propósitos. Pode ser usado para entender os colaboradores como criar um serviço novo para sua empresa.

A razão de sua existência é a satisfação do cliente (interno ou externo), dádiva que só pode ser alcançada quando conhecemos em profundidade suas necessidades, desejos e percepções de mundo.

Conheça sobre a LEAP, joint venture do Distrito com KPMG

Design Thinking como forma de ver o mundo

Portanto, separamos três fatores que são fundamentais quando você for aplicar o Design Thinking na sua startup. Essa abordagem tem a ver muito com o mindset e a forma de solucionar problemas.

1. Empatia

É importante que você selecione um time diverso que saiba praticar a empatia, que seja motivado a ouvir, escutar, refletir e se colocar no lugar do outro. No Distrito, por exemplo, temos os Bussiness Hackers que fazem esse tipo de exercício.

2. Colaboração

Após definir o aspecto do problema que você irá solucionar é o momento de usar ferramenta e métodos que incentivem a criatividade. Dessa forma, a colaboração é a melhor maneira para seguir adiante.

3. Prototipação

Prototipar é o ato de dar vida às ideias. Após o momento da colaboração no momento de dar ideias e propostas, as que fazem mais sentido devem ser prototipadas. Você pode fazer de várias maneiras: seja com papel, massa de modelar, madeira, colando ou simulando. O que importa é tangibilizar a ideia.

A ideia deve ser entendida para que o cliente/usuário consiga dar os feedbacks necessários> Isso é essencial para o processo de lapidação aconteça.Só então a fase de descoberta dará lugar a uma fase de execução, quando o desafio será entregar a inovação de forma repetida, consistente e lucrativa.

A abordagem tem a ver com falhar rápido. Você deve pegar um feedback que é cada vez mais instantâneo como também inserir o usuário no processo de co-criação.


Livros sobre Design Thinking

1- Design Thinking Inovação em Negócio – gratuito

O livro traz e apresenta técnicas, etapas e ferramentas de Design Thinking por meio de cases brasileiros com o intuito de inspirar e auxiliar na empreitada rumo à inovação.

2- Isto é Design de Serviços

O livro apresenta uma perspectiva interdisciplinar ao design de serviços. O livro está estruturado em 3 seções:

  • Fundamentos: apresenta os conceitos do design thinking de serviços e traz uma seleção de perspectivas individuais, mostrando as semelhanças e diferenças entre as áreas envolvidas no processo.
  • Ferramentas: explica o processo iterativo do design de serviços e apresenta 25 ferramentas de design adaptáveis.
  • Casos: mostra como fundamentos, processos e ferramentas funcionam na prática por meio de estudos de caso internacionais.

3- Sprint. O Método Usado no Google Para Testar e Aplicar Novas Ideias em Apenas Cinco Dias

Como inovar? Por onde começar? Como montar uma boa equipe? São muitas as perguntas para quem precisa tirar ideias do papel, o Spint é um método que irá ajudá-lo a responder todas essas dúvidas. No livro, você aprende e entende melhor sobre essa metodologia.

4- O Design de Sua Vida

Baseado nas aulas dos designers Bill Burnett e Dave Evans, O design da sua vida é a versão em livro de um dos cursos eletivos mais disputados na Universidade de Stanford, na Califórnia, procurado por alunos novatos, profissionais já estabelecidos em suas carreiras e diletantes em busca de novas possibilidades

Ficou dúvida? Quer conhecer mais sobre o Distrito? Entre em contato!