São definidas como Unicórnio as startups avaliadas em mais de US$1 bilhão. Após o nascimento da primeira unicórnio brasileira, a 99, o termo “Startup Unicórnio” vem se popularizando cada vez mais no Brasil.

Até janeiro de 2018, não existia nenhuma startup bilionária brasileira. Atualmente, existem seis: 99, NuBank, Stone, Arco, Gympass e a IFood (Movile). Esse rápido aumento é fruto da popularização de empresas com ideias inovadoras tanto entre os investidores quanto entre os consumidores.

Os grandes investidores estão cada vez mais aptos a arriscar em startups inovadoras e os consumidores estão em busca de maneiras diferentes de solucionarem suas dores de cabeça.

Baixe o Corrida dos Unicórnios Report

Tal tendência é muito visível principalmente entre os estudantes. O número de universitários interessados por startups ao invés de empresas tradicionais vem crescendo progressivamente nas universidades brasileiras. Ideias transformadoras como as da IFood, que revolucionou o conceito de delivery dos restaurantes, e as da grande fintech NuBank, que inovou drasticamente o tradicionalíssimo do mundo financeiro encantam os jovens da atualidade.

Ao lado das tradicionais empresas júniors das universidades, diversas Ligas de Empreendedorismo estão nascendo e crescendo de forma exponencial nos últimos tempos.

Com essa onda, percebemos o movimento de algumas startups que prometem aumentar esse número de Unicórnio brasileiros nos próximos anos. Abaixo, listamos cinco startups com alto potencial de se tornarem futuros Unicórnio do Brasil. Muitas delas aparecem no Corrida dos Unicórnios Report e para conferir a lista completa é só acessar o relatório.

Baixe o Corrida dos Unicórnios Report
Baixe o report e veja tudo sobre as startups Unicórnio

1. LOGGI

A Loggi foi fundada em 2013, com o objetivo de inovar o mercado de entregas via motoboys. Por meio de uma plataforma online, ela conecta o entregador diretamente com o cliente e facilita a logística da entrega.

Ela começou com suas atividades tendo como seu público principal as empresas, facilitando as entregas de documentos. Com o tempo, expandiram para as pessoas físicas, nos comércios virtuais e deliverys de comida.

Atualmente, o serviço está presente em 13 capitais brasileiros. A meta deles é atingir 95% do território brasileiro até 2020.

Por que pode virar unicórnio:

A Loggi é tanto B2B (Business to Business) quanto B2C (Business to Customers), assim como os outros unicórnios brasileiros 99, Arco, Gympass e IFood. Dessa forma, eles possuem uma grande gama de público-alvo.

Em 2018 eles tiveram um aporte de US$100mi da SoftBank. Ela servirá para expandir sua cobertura e facilitar a logística das entregas no país inteiro. Considerando que o Brasil gasta 12,5% do PIB em logística, a Loggi tem muito potencial de crescimento.

   2. GROW

Em janeiro de 2019, Grin e Yellow surpreenderam o mercado anunciando a fusão das duas startups. A Grow é uma startup de mobilidade urbana, e tem como seu principal produto as patinetes elétricas e as bicicletas.

Eles planejam expandir ao máximo para novas cidades e novos países, e aumentar o número de suas patinetes e bikes que atualmente totalizam em 135 mil.

Por que pode virar unicórnio:

A Yellow é a startup pioneira em bicicletas sem estações e patinetes elétricos no Brasil. A mexicana Grin, é a maior empresa de patinetes elétricos da América Latina. A junção dessas duas grandes pode ser um catalisador do processo de chegar aos US$1bi.

Além disso, o mercado prevê que até o final de 2019 a Grow receba um aporte de US$150mi da japonesa SoftBank. Com isso, a holding será avaliada em US$700mi e se tornará ainda mais um forte candidato a entrarem na lista dos unicórnios brasileiros.

 3. QUINTOANDAR

A startup nasceu com o objetivo de inovar o mercado imobiliário, descomplicando o processo de aluguel de imóveis, que costuma ser extremamente burocrático e complexo. Por um processo 100% online e sem a necessidade de um fiador, a empresa se responsabiliza pelo valor total do seguro-fiança, assim agilizando a negociação.

Por que pode virar unicórnio:

A QuintoAndar promete um serviço diferenciado no mercado imobiliário, que atualmente vale cerca de R$200 bilhões. Em novembro de 2018, eles captaram um investimento de R$250 milhões e se continuarem nesse ritmo de crescimento, há muito potencial de chegar ao patamar de unicórnio.

 4. CREDITAS

O antigo BankFacil, atual Creditas é uma fintech que surgiu com a promessa de revolucionar o empréstimo no Brasil. Na Creditas, a garantia de pagamento do empréstimo é feita por meio de um imóvel ou veículo. Com isso, diminui a taxa de inadimplência e diminui os juros do consumidor.

Por que pode virar unicórnio:

A Creditas vem tendo um crescimento intenso nos últimos 2 anos. A sua receita líquida cresceu de sete vezes em 2017 e logo, de cinco vezes em 2018. E a tendência é que esse crescimento se mantenha.

E assim como a Grow, o mercado prevê que a Creditas também receba um aporte da SoftBank, de US$200mi até o final do ano.  

 5. CARGOX

A empresa é também conhecida como a “Uber dos caminhões. A startup oferece um serviço diferenciado de transporte de cargas lotação para empresas, com menos burocracia e complexidade da logística rodoviária. A CargoX permite que os motoristas otimizem suas rotas, evitando viagens ociosas.

Assim, a CargoX vêm crescentemente se expandindo. Atualmente, eles estão trabalhando numa parceria com a Amazon Brasil que envolve caminhões blindados para transportes de produtos de alto valor agregado.

Por que pode virar unicórnio:

O transporte rodoviário de cargas no Brasil representa cerca de 90% das mercadorias movimentadas no país. Dessa forma, a CargoX surgiu para solucionar um problema enraizado no país.  Atualmente, utilizando Big Data e Machine Learning, eles conectam cerca de 350 mil caminhoneiros e oito mil empresas embarcadoras.

Ficou dúvida? Quer conhecer mais sobre o Distrito? Entre em contato!

Este texto foi escrito pela Emi Ohno, 18 anos, estudante do 3º semestre de administração de empresas da FGV, membro da Liga de Empreendedorismo FGV.