Toda startup precisa estabelecer uma cultura, propósitos e valores. Isso é essencial para um negócio. Se você for no site de grandes empresas, irá perceber que sempre há uma seção em que são definidos os Propósitos, Valores, Visão e etc.

Além disso, grandes corporações, em muitos casos, têm estampadas em suas paredes frases importantes que ressaltam seus valores. Porém, muitas vezes tudo isso não é visto na prática. O que torna tudo isso uma verdade, com real significado, é o dia a dia da empresa. Ou seja, a rotina e a cultura impregnada nas ações dos funcionários e fundadores dizem muito sobre os valores do negócio.

Neste artigo, vamos compartilhar um pouco dos aprendizados que fomos colhendo, ao longo dos anos, ao gerir uma comunidade de startups, como é o caso do Distrito e seus hubs de inovação.

No Distrito, acreditamos no poder transformador das comunidades. Além disso, também acreditamos no poder que as pessoas têm quando existe um propósito em comum entre elas. Temos certeza que o engajamento de uma comunidade é mais efetivo que o relacionamento tradicional de uma marca com seus clientes.

Quero receber conteúdos exclusivos

O que é um propósito?

O propósito deve definir qual é a sua motivação, o que faz você levantar todos os dias para fazer aquilo acontecer. Junto a isso, você deve entender o porquê de fazer aquilo e para quem vai dedicar seu tempo.

Muitas vezes, a comunidade se cria dentro de uma organização e ela faz parte de um propósito maior. A comunidade precisa ter objetivos próprios e representar através dela mesma a materialização do propósito geral da empresa.

Para ajudar a formular seu propósito, pode ser interessante seguir as instruções de Ismail Salim (2014), que explica a importância do Propósito Transformador Massivo (PTM). Abaixo, você confere uma síntese das ideias dele:

  • O PTM é o maior e mais ambicioso propósito da organização.
  • É uma mudança cultural que move o ponto focal de uma equipe da política interna para o impacto externo.
  • O foco muitas vezes acaba sendo tão interno ou distante da realidade que muitas empresas perdem o contato com seu mercado e seus clientes.
  • O PTM é tão inspirador que forma uma comunidade de fãs e seguidores ao redor da organização.

Alguns exemplos de Propósito Transformador Massivo (PTM) são:

  • Google: “Organizar a informação do mundo”
  • Singularity University: “Impactar positivamente um bilhão de pessoas”
  • TED: “Criar ideias que merecem ser espalhadas”
  • Red Bull: “Te dá asas”

O propósito cria um norte para a organização e ajuda a focar todas as suas ações em torno do seu PTM. Antes de traçar métricas, indicadores, KPIs, OKRs, se deve entender o verdadeiro propósito, que é a razão de ser da organização agora e no futuro.

O propósito deve ser:

  • Auténtico.
  • Inspiracional
  • O propósito não é a visão nem a missão da empresa.
  • Ele deve responder as perguntas: “por que fazer este trabalho”? e “por que a organização existe”?
Faça parte da nossa comunidade

Como criar a identidade de uma comunidade?

Identidade é uma característica de grupos de pessoas, de empresas e de instituições para poder diferenciar-se do resto. É uma condição que individualiza a organização e a separa dos outras com um único motivo: a agrupação de pessoas que compartilham desejos, motivações e um propósito em comum a longo prazo.

Cada comunidade foi criada para um “alguém”, um grupo desconectado de pessoas que compartilham uma ou várias coisas em comuns. Alguns exemplos de coisas em comuns são:

  • Pessoas vivendo ou trabalhando num mesmo espaço;
  • Indivíduos que dividem uma forma específica de ver o mundo;
  • Grupo de pessoas que passaram por experiências similares;
  • Pessoas que pertencem ao mesmo grupo social.

Quando a comunidade cresce, é importante que tanto seu propósito quanto sua identidade estejam bem definidos e visíveis para todos os membros.

Dessa forma, a identidade do Distrito envolve um conjunto de fatores diversos que se combinam. Desde a comunicação visual, branding até o modo de falar e como interagimos no Slack são parte da identidade geral de nossa comunidade.

Identidade visual

A logomarca do Distrito com a letra R ao contrário representa o estilo “fora da lei” do Distrito. Ou seja, somos focados em gerar transformação por meio da disrupção.

Utilizamos a letra R em cor magenta em todas suas versões do logo e até existe uma versão só com a letra R que é utilizada em ocasiões específicas, como as redes sociais, website e como emoji no Slack.

A identidade visual ajuda a representar a marca na mente do seus membros. Adesivos, camisetas, canecas, lápis e frases próprias do Distrito são parte dessa identidade.

Comunicação escrita e verbal

O Distrito adota uma comunicação informal, mas sempre com respeito usando um vocabulário amigável como: “Olá, galera” sempre no início de cada vídeo ou comentário no Slack.

Uniformes

O uniforme ajuda a identificar os líderes da comunidade Distrito nos campus e eventos externos. Como é o caso do Community Manager, Host, Regional Manager, todos devem vestir a camiseta todos os dias.

Tecnologia que nos diferencia

O Distrito é uma empresa de tecnologia. Existem três frases que identificam a cultura do Distrito: “build something awesome”, “hack your business”, “hack your mind”. Em cada membro do time deve existir um rebelde e sonhador que tenha vontade de construir algo incrível desafiando o impossível. No Distrito, nada é impossível.

Existimos para ajudar a alavancar os negócios das startups, para criar tecnologias disruptivas. Nosso objetivo é solucionar problemas complexos de grandes empresas e garantir o retorno exponencial esperados dos investidores.

Micro-comunidades

Cada startup possui sua própria marca e um propósito diferente do Distrito, mas a tecnologia une todos. Dentro do Distrito podem existir outras micro-comunidades. Elas podem ser um movimento das startups, que não são residentes, e organizam eventos dentro de nossos espaços. Abraçamos cada iniciativa que esteja alinhada com nosso propósito.