As Fintechs estão dominando o mercado brasileiros. Já são mais de 550 startups ao redor de todo o Brasil, segundo o Distrito Dataminer. Durante o estudo que realizamos, percebemos um crescimento acelerado. O número de Fintechs aumentou 10 vezes de 2015 para o ano de 2019.

Dessa forma, antes de abordarmos e nos aprofundarmos em algumas Fintechs inovadoras, é interessante entender mais do mercado. Assim, você compreende mais o que está acontecendo no cenário brasileiro e como funciona todo o ecossistema.

Concentração regional de Fintechs

Além disso, as fintechs seguem a tendência de estarem centralizadas no Sudeste, tendo a região como polo absoluto. Afinal, 58% de todas as startups estão no estado de SP. Já MG e RJ vêm em seguida, com cerca de 7,5%. No Sul, há um equilíbrio entre RS (6%), SC (5%) e PR (6,7%). DF e PE são os únicos estados fora do eixo Sul-Sudeste com mais de 1% das startups.

Um palpite para essa centralização é a estrutura comercial que essas regiões permitem. Muitos negócios, reuniões empresariais e sedes de grandes empresas e até fornecedores desses negócios estão localizados e centralizados na região.

Isso demonstra dois lados. O primeiro é o quanto essa centralização de Fintechs pode ser, de certa forma, prejudicial inclusive para o desenvolvimento do restante do país. O segundo lado é que essa escassez de Fintechs nas outras regiões do país oferece oportunidades. Afinal, abre a possibilidade para outras startups oferecem serviços financeiros voltados para necessidades regionais específicas.

Startup para pequenas empresas
Tenha acesso a diversos relatórios de mercado de graça

Qual é a média de funcionários das Fintechs?

A média do número de funcionários das fintechs brasileiras é de 50. No entanto, é interessante desconsiderar algumas das grandes empresas que empurraram o número para cima. Esse é o caso que nomeamos como Super Fintechs, como Stone e Nubank. A média seria, portanto, de 10.

A categoria com a maior média de funcionários é Cartões, com 117, enquanto a menor é Crowdfunding, com uma média de 7 a 8 funcionários por startup. Serviços Digitais (que inclui bancos, contas digitais e eWallets) é a segunda maior média, com 101.

Faça parte da nossa comunidade

Setores com maior número de Startups

As áreas com maior volume de Fintechs são Meios de Pagamento, Backoffice e Crédito. Além disso,essas áreas se sobressaem pelo tamanho do mercado em potencial. Afinal, todo mundo precisa, em muitos casos, de crédito, fazer pagamentos e soluções de backoffice. Todas essas opções são muito procuradas em pequenas e médias empresas que buscam aumentar a eficiência de seus processos.

Portanto, a barreira de entrada é também menor. Muitas Fintechs de meios de pagamento se apoiam em infraestrutura de empresas maiores para oferecer os seus serviços. Assim como marketplaces de crédito conectam clientes a agentes já existentes.

Já a categoria de Backoffice consiste principalmente de software, uma área em que há menos investimento necessário para oferecer um produto competitivo.

Cases de sucesso: Fintechs para ficar de olho

Agora que você já entendeu como funciona um pouco do setor é hora de ir adiante e conhecer algumas das Fintechs para você ficar de olho. Algumas delas são investidas do Distrito, outras são residentes de nossos espaços, além de também ter Fintech que está dando o que falar e modificando determinado setor.

É interessante entender o modelo de negócio, a solução que essas empresas estão propondo e como funciona toda a abordagem da empresa.

Yubb

A Yubb é o primeiro buscador de investimentos do Brasil e uma das estratégias principais da startup é se utilizar de estratégias de Inbound e Marketing de Conteúdo com produção maciça de conteúdo sobre investimento. “Quando eu comecei a empreender com a Yubb, tinha pouquíssimo conteúdo sobre como é ser empreendedor”, comenta o fundador Bernardo Pascowitch em um dos seus vídeos em seu canal no Youtube.

Dessa forma, a plataforma é gratuita e tem o objetivo de ajudar você a buscar e encontrar os melhores investimentos do Brasil. O intuito é mostrar para o usuário as opções de investimentos disponíveis no mercado, sem cobrar uma taxa ou comissão a mais por isso.

Assim, a atualização na plataforma é diária e possui mais de 180 empresas de investimentos. Você insere o montante que quer investir, o tempo de resgate desse valor e o site mostra quais são as opções disponíveis no mercado e quanto terá de retorno.

Na Yubb, você pode fazer buscas e ver qual o melhor investimento para o seu perfil
Na Yubb, você pode fazer buscas e ver qual o melhor investimento para o seu perfil

PicPay

O PicPay é um aplicativo disponível para IOS e Android que funciona como uma carteira digital. Assim, você pode fazer compras por meio do celular seja com o valor da transferência ou cartão de crédito. Dessa forma, como usuário você pode parcelar compras em determinadas lojas e serviços. Além disso, o app permite que você divida contas com seus amigos.

A Fintech foi fundada em 2012 e teve um crescimento elevado por oferecer uma proposta diferenciada. Ou seja, como muitas Fintechs, ela fugiu das taxas que são cobradas em transferências bancárias como, por exemplo, TED e DOC. Isso atraiu e chamou a atenção de muita gente que resolveu testar a plataforma e acabou sendo fidelizado.

Inclusive, em 2015, o Banco Original investiu na Fintech passando a integrar o grupo de sócios aos investidores-anjos. O objetivo era demonstrar alinhamento dos serviços do aplicativo ao slogan e proposta de “banco digital”.

Além disso, a empresa continua investindo em estratégias de atração. Por exemplo, ao deixar o dinheiro na plataforma, o usuário tem rendimento, automaticamente, à 100% do CDI. O intuito é atrair as pessoas e fazer com que elas utilizem mais a plataforma e deixem o dinheiro guardado no aplicativo.

MEI Fácil

Muitas Fintechs surgem para atender determinados nichos que muitas vezes não possuem um serviço específico voltado a esse público. A MEI Fácil nasceu em 2017 com o objetivo de ajudar milhões de Microempreendedores – MEI com a parte burocrática da abertura de empresa.

A empresa conta com mais de 200 mil usuários em seu aplicativo. Além disso, a Fintech auxilia o microempreendedor a obter um CNPJ. Pelo app, o usuário consegue fazer toda a parte burocrática para ficar em dia com suas obrigações. Como, por exemplo, como pagar guias de imposto, fazer declarações e acessar documentos.

Em apenas quatro minutos, de acordo com o site da empresa,você consegue o seu CNPJ. A MEI Fácil já é a empresa que mais abre CNPJs no Brasil.

A empresa também faz parte da turma de startups e Fintechs que está sendo acelerada pelo Bradesco. Os sócios passaram pelo programa de aceleração da Startup Farm e também do PROEM – Programa de empreendedorismo e inovação da UTFPR.

Monetus

A Monetus é uma Fintech gestora de investimentos digital que tem o intuito de fazer todo o trabalho de investir por você. A Fintech ajuda a criar o seu plano de investimento ideal para cada um dos seus objetivos.

Portanto, a Monetus é autorizada e fiscalizada pela CVM e seus investimentos ficam registrados em seu nome e CPF. Não há taxa de corretagem, custódia ou performance. Não há também taxa para resgatar o seu dinheiro.

Além disso, todos os rendimentos dos fundos exibidos são líquidos de taxas — o que você vê na plataforma é exatamente o quanto você ganha. A empresa já atende mais de 20.000 pessoas por todo o Brasil. Dessa forma, a Monetus é mais uma das Fintechs para você ficar de olho, hein!

AliCrédito

Já a AliCrédito tem a proposta de oferecer empréstimos online com juros justos. Entre as Fintechs, a empresta dinheiro somente para clientes com nome limpo e com bom histórico. Dessa forma, a taxa cobrada será menor de acordo com o histórico. Quanto melhor for menos você paga.

Assim, as taxas podem variar de 1,9% a 8,1% ao mês. Por exemplo, pense na taxa de juros do crédito pessoal não consignado cobrada pelos bancos, que fica em torno de 7% ao mês. Olhando por esse lado, a AliCrédtio se torna uma boa opção. Portanto, além do IOF, os juros são a única taxa que a empresa cobra de seus clientes.

Dessa forma, são analisadas mais de cem fontes de dados públicos, por meio de robôs, que verificam o perfil do tomador de crédito.

Ficou dúvida? Quer conhecer mais sobre o Distrito? Entre em contato!